Open
  • Av. Marcos Konder, nº1111, Centro, Itajaí – SC

Category Archives: Vida Saudável

Nutricionista do Hospital Marieta explica o que é mito e o que é verdade sobre a alimentação durante o tratamento do câncer.

Uma alimentação saudável e balanceada é importante em qualquer fase da vida, mas se torna ainda mais indispensável e cuidadosa durante o tratamento oncológico, pois faz com que o paciente consiga se sentir melhor, manter o peso adequado e auxilia a passar pela quimioterapia, radioterapia, cirurgia, ou pela combinação desses procedimentos da melhor forma possível.

O tratamento oncológico serve para tentar eliminar as células cancerígenas, porém acabam afetando algumas células saudáveis e, por isso, o paciente pode apresentar efeitos colaterais como enjoo, boca seca e falta de apetite.

A Unacon, do Hospital Marieta, atende pacientes tanto pelo SUS quanto convênio e particular e possui uma equipe multidisciplinar que acolhe e faz o acompanhamento individual. A nutrição é parte importante disso, e as instruções podem variar de paciente para paciente, mas de uma forma geral, é preciso que a pessoa que está em tratamento oncológico tenha alguns cuidados especiais. “Algo muito importante é que o alimento seja bem mastigado, e que o paciente faça pequenas refeições a cada três horas, porque isso pode evitar o enjoo”, afirma Ana Carolina Tolentino Claudino, nutricionista clínica da Unacon.

O prato também precisa sempre ser bem colorido, incluir diariamente de três a quatro frutas e verduras e de quatro a cinco legumes, já que são ricos em fibras e vitaminas, mas é necessário lavar bem as frutas e saladas cruas para não correr o risco de conter nenhum tipo de bactéria. A dica da nutricionista é que os pacientes priorizem por preparar suas refeições, mas caso almocem ou jantem em um restaurante, evitem as saladas cruas.

Outra dica é dar preferência para alimentos integrais, incluir leite e derivados que são fonte de cálcio, mas priorizando o leite desnatado e os queijos mais brancos que possuem menos gordura. É importante inserir na alimentação também os cereais como centeio, aveia, farelos e milho que fornecem energia e dar preferência às carnes magras, aves sem pele e peixes. “A carne vermelha possui uma digestão mais lenta, por isso nossa orientação é diminuir o consumo para no máximo duas vezes por semana, sendo em dias alternados. Já os peixes são uma ótima opção, pois são ricos em proteínas e são necessários para a conservação da massa magra”, explica a nutricionista. Ingerir muito líquido também faz parte da rotina diária. O paciente deve tomar de oito a dez copos de água por dia.

Mas é preciso ficar atento ao que é proibido ou o que se deve pelo menos evitar durante o processo de tratamento do câncer. “É muito importante evitar ao máximo o consumo de alimentos embutidos ou curados como linguiça, mortadela, presunto, bacon, etc. Alimentos gordurosos também são um verdadeiro perigo, e nessa classe estão incluídas todas as frituras, carnes gordas, fast foods, margarina, óleos, creme de leite, chantilly, maionese e doces em geral”, comenta Ana. A nutricionista ainda explica que se for necessário utilizar o óleo, deve-se optar pelo azeite de oliva, óleo de milho, de canola e manteiga. Os refrigerantes e bebidas alcoólicas também são proibidos.

A nutricionista da Unacon ainda explica que é preciso ter muito cuidado com o que se encontra na internet e que é sempre necessário procurar um médico para fazer o acompanhamento. “Existem hoje muitas receitas milagrosas na internet que prometem curar o câncer, e isso nos preocupa. Por exemplo, existem pessoas que dizem que a graviola auxilia no tratamento, porém essa fruta é proibida para quem está passando por quimioterapia, pois ela possui uma toxina que inibe a ação do medicamento, ou seja, ela prejudica o tratamento ao invés de ajudar”, afirma.

A Unacon possui uma equipe multidisciplinar que faz o acolhimento de cada paciente, e além de todas as dicas, cardápio e acompanhamento nutricional do paciente que consegue se alimentar normalmente, a instituição também oferece orientações, cardápios e acompanhamento para o paciente que realiza a alimentação apenas por sonda, ajudando os familiares em todo o processo.

Informações através do telefone (47) 3249-9400 – ramais 2116 e 2119.

Você Sabia? Sobre o uso de cotonetes.

A cera de ouvido, também chamada de cerume, é uma secreção fisiológica produzida para limpar, proteger e lubrificar o conduto auditivo. Funciona como uma barreira contra as impurezas e corpos estranhos. As pequenas partículas que penetram com a poeira e a poluição ficam presas no cerume, que as impede de chegar ao tímpano. A partir disso, movimentos que ocorrem no conduto auditivo externo ajudam a empurrar o cerume velho para a abertura externa, da qual será eliminado durante o banho.

Retirar a cera de ouvido diminui uma proteção natural do corpo contra a ação bacteriana e fúngica. “O canal auditivo possui uma flora bacteriana que pode ser comparada à flora bucal, ambos apresentam diversos microrganismos, fundamentais para o funcionamento do corpo. Portanto, tentar limpar totalmente o ouvido, torna o ouvido mais suscetível a infecções”, explica o médico Vanderson Cristiano Polimeni, Clínico Geral do Hospital Marieta. Além de ajudar a prevenir a infecção, como otites externas, a cera ajuda a prevenir doenças. Devido ao seu aspecto oleoso, a cera também impede o ressecamento do interior da cavidade, protegendo contra a sensação de irritação, coceira e até mesmo a dor.

Em excesso, o cerume pode se acumular, endurecer e bloquear o canal. Os principais sintomas provocados pela obstrução são: dor, sensação de corpo estranho, zumbido, perda da sensibilidade auditiva, secreção purulenta e até tosse. O risco de obstrução aumenta com a idade, por conta do uso de aparelhos auditivos e com a introdução de cotonetes e outros objetos no ouvido. O diagnóstico é confirmado com auxílio de um otoscópico e o tratamento é realizado pela lavagem otológica. Nos casos de pessoas com otites frequentes, com próteses ou perfuração na membrana do tímpano, a irrigação para limpeza deve ser feita por um otorrinolaringologista.

A introdução de cotonetes, clipes, hastes de óculos ou de qualquer outro objeto no ouvido, é contraindicada. Embora eles possam retirar pequena quantidade de cerume, o que fazem é empurrá-lo contra a membrana do tímpano. Tratamentos populares como pingar azeite quente ou gotejar álcool, também não devem ser utilizados.

Recomenda-se que as hastes flexíveis sejam utilizadas apenas para limpar e secar a parte externa da orelha, e nunca serem introduzidas no ouvido. Seu uso incorreto é responsável por problemas como trauma no canal auditivo, obstruções, ruptura do tímpano e em casos mais graves, a perda da audição. De acordo com o Dr. Vanderson, outros métodos para retirar somente o excesso de cera de ouvido que ficam mais aparente na região externa podem ser por meio do uso de óleos para bebês, ou simplesmente pode-se enrolar uma toalha seca no dedo após o banho e passá-la levemente no ouvido.

Olá! O que você procura?